Quando uma mulher negra decide passar pela transição capilar, o primeiro estímulo é a vontade de se afirmar como negra e se aceitar. A problemática se volta especificamente para a mulher negra, não porque elas são as únicas que fazem a transição, mas por se tratar, na maioria das vezes, de um tipo de cabelo diferente do que a nossa sociedade está acostumada. É um cabelo que não tem caimento, de fio impermeável que muitas vezes cresce para o alto.

Diante disso, essa mulher precisa ter esse amadurecimento e principalmente vontade, não é porque esse movimento está latente na sociedade atual, que todas as mulheres negras devem aderir. É importante deixar claro que cada pessoa tem o direito de ter o cabelo que bem entender.

Pois bem, quando o assunto é transição, existe uma gama de informações, nomes, produtos, e técnicas para adotar. Não basta fazer o big chop e deixar que o cabelo se alimente apenas da água e do ar. Os gastos com os alisamentos acabam, mas para o tratamento desse cabelo natural pode ser muito mais altos.

Basta entrar nas lojas de cosméticos para observar a quantidade de produtos para crespas ou cacheadas em transição. A questão financeira é importante ser analisada. Segundo muitos dados resultantes de pesquisas como as que são feitas pelo IBGE, a maioria da população negra do nosso país é pobre e tem dificuldade de ascensão no mercado de trabalho.

Por conta disso, atribui-se que as mulheres que passam pela transição capilar têm duas alternativas, uma delas é gastar com produtos quando estão empregadas e não depositam toda a renda no sustento da família, ou optar pelos tratamentos caseiros. Todavia, elas têm em comum um bom nível de esclarecimento sobre o papel dentro da sociedade e aspiram satisfazer-se como mulheres através da estética, geralmente estão cientes dos impactos que causarão e, de certa forma, estão preparadas para passar por todos os obstáculos.

Ressalto que não é um movimento obrigatório, é preciso vontade, paciência, condições emocionais e principalmente financeiras para encarar. A grande motivação é a sensação de liberdade, de reconhecimento próprio e também das pessoas.

Confira o que dizem algumas influenciadoras digitais

Vejo produtos com preços acessíveis no mercado, o que ajuda muito. Mas caso a pessoa não possua condições de forma alguma, ainda é possível cuidar dos fios com hidratações caseiras, onde utilizamos aquilo que temos na cozinha/em casa. (AMANDA MENDES SP, CANAL TÔ DE CRESPA).

“Hoje podemos encontrar produtos com custos muito bons, e produtos realmente de ótima qualidade. Isso é realmente muito promissor! O que acontece também é a descoberta de produtos naturais, coisas da própria cozinha, plantas como a Aloe Vera (babosa), óleos vegetais como coco, azeite de oliva. Esses utilizados pela nossa bisavó foram redescobertos, facilitando no processo de Transição Capilar”. (EDILMA SANTOS DE ALMEIDA, CANAL EDILMA SANTOS).

“Tem muitos produtos no mercado, mas também dá para se fazer muitos produtos em casa. Não é necessário ter uma grande quantidade de cremes e atualmente existem cremes de todos os valores”. (MICHELE PASSA SP, CANAL MICHELLE PASSA).

“Assim como para quem tem cabelos com químicas, o mercado, hoje em dia, oferece todo o tipo de produto e com uma grande variedade de preços. Há produtos acessíveis que cabem no bolso de todas”. (PATRICIA NEVES RS, CANAL PATT NEVES).

“Para passar pela transição é preciso cuidados, porém, não custa tão alto. Não vejo necessidade de ter um renda extra”. (SAH OLIVEIRA, CANAL SAH OLIVEIRA).

“Acredito que hoje em dia conseguimos encontrar produtos a preços bastante acessíveis e disponíveis no mercado e excelente qualidade. A mulher que entrar em transição agora vai precisar de estudo, criatividade e persistência. A mudança começa de dentro pra fora. O processo de aceitação chegar primeiro junto com uma consciência social racial e muitas vezes até política”. (XAN RAVELLI, CANAL SOU VAIDOSA).

Quanto as mulheres em transição de Florianópolis, protagonistas do vídeo a seguir, a opinião é unanime, pois elas relatam que encontram facilidade de encontrar produtos para os cabelos crespos, alegam gastar menos com os cabelos naturais e conseguem manter os gastos de acordo com as respectivas rendas salariais, confira o vídeo.

LEIA TAMBÉM:

http://www.mulherdecachos.com.br/2016/11/transicao-capilar-quanto-custa-para-cachear-os-cabelos.html

 

Compartilhe este post »