Hoje é o terceiro dia da semana das influenciadoras digitais, perdeu as entrevistas dessa semana, veja aqui!

Transição capilar por, PATRÍCIA ALVES DIAS, Rio Grande/RS

 28 anos, sou acadêmica de Direito, canal: Patt Neves, 744 inscritos até a data desta postagem.

(Foto: Arquivo pessoal/Instagram)

“Não gosto de rótulos e definições, não acredito que tenha uma onda de meninas passando pela transição, apenas há maior visibilidade. Não brotou cacheada ou crespa com longos cabelos em 1, 2 anos… elas já tinham. O que acontece hoje, é que temos muito mais visibilidade e representatividade nos meios de comunicação. Logo, meninas têm em quem se espelhar, menos gente dizendo que é um cabelo feio, duro… resultando em LIBERDADE emocional para se aceitar como é, e testar seu cabelo natural!”

Com cabelos tipo 3C, fez a transição em abril até dezembro de 2015 para se conhecer melhor, conhecer a identidade, pois até então não fazia ideia de como eram os cabelos naturais. Patt é contra o rótulo de “movimento”, isso porque ela acredita que o assunto deveria ser tratado de maneira normal e não diferente, afinal de contas ser negro e ter o cabelo crespo não tem nada de anormal, mas avalia como benéfica a quantidade de mulheres produzindo esse tipo de conteúdo.

A jovem que, além do Youtube, possui página no Facebook e Instagram, conta que resolveu fazer o próprio canal pelo fato de não encontrar respostas. Ela afirma que encontrava mais meninas fazendo propagandas de produtos do que tentando ajudar. “Não estou generalizando, logicamente, mas resolvi fazer justamente o que não encontrava e responder as pessoas que sempre me perguntavam algo, ou seja, dividir experiências, e melhorar a autoestima,” garante Patrícia.

A forma de trabalhar da jovem é semiamadora, uma vez que investiu em alguns equipamentos para melhorar a qualidade, mas não tem o Youtube como renda principal, apesar de ter um canal monetizado, recebe pelas visualizações.  Patrícia não fez curso algum, apenas foi testando o que dava certo para ela. “Vejo que é muito mais fácil cuidar dos cabelos cacheados e crespos em casa, uma vez que acabam sendo tratamentos simples que não exigem procedimentos quentes e químicos. Logo, esses canais ajudam a mostrar como fazer esses tratamentos caseiros, com baixo custo, em sua maioria”, avalia a estudante.

Siga Patt Neves: Youtube: Patt Neves, Intagram: @patt_neves

Transição capilar por, SAH OLIVEIRA, São Paulo/SP

22 anos, blogueira, canal YouTube: Sah Oliveira, 35.302 inscritos até a data desta postagem

(Foto: Arquivo pessoal/Instagram)

“Aceitação”

Dona de cabelos tipo 4A e 4B, fez a transição em 2011, porque os procedimentos químicos para alisar estragaram os cabelos dela e para não perder todo o meu cabelo, resolveu parar de usar químicas.

Sah sente alegria por ver muitas outras meninas se unindo para inspirar quem ainda precisa elevar a autoestima. Criou o canal no youtube para atender algumas meninas que pediam informações do cabelo dela, então decidiu gravar o primeiro vídeo sobre cabelo e desde de então não parou. Além do Youtube, ela tem  Instagram, Twitter, blog e Fan Page.

 A blogueira conta que investe nos canais dela e sente-se uma profissional, pois vive do trabalho com a internet. Ela acredita que a falta de profissionais especializados que saibam lidar com cabelos crespos faz com que as mulheres procurem as plataformas digitais.

Não fiz curso, tudo que sei são experiências vividas,” revela Sah.

Embaixadora Embelleze, conta que não fez curso e tudo que sabe são experiências vividas. “Eu trabalho divulgando os produtos da marca mensalmente. Falo dos produtos que realmente dão certo pra mim.”

Siga Sah Oliveira: Youtube: Sah Oliveira, Blog: blogsaholiveira, Instagram: @eusaholiveira, Fanpage: @eusaholiveira

 

Compartilhe este post »