Para quem é crespa ou cacheada e está perdida, se sentindo sozinha na hora de tomar decisão sobre os cabelos, quer dividir histórias, dar e receber dicas, basta digitar a palavra cachos no Facebook para encontrar vários grupos de mulheres que estão vivenciando as mesmas dúvidas. Em todo o Brasil existem grupos que orientam essas pessoas que decidiram pela aceitação de suas essências, resgate das origens e principalmente buscam a identificação com outras mulheres.

Florianópolis não ficou de fora, o grupo das Amigas Crespas de Floripa está com aproximadamente 500 participantes no Facebook e os debates não ficam apenas no virtual e nem se restringem apenas a questões relacionadas aos cabelos crespos.

O grupo serve como apoio para mulheres negras que sofrem ou já sofreram algum tipo de racismo, porém qualquer pessoa que tenha interesse de contribuir ou simplesmente ouvir os depoimentos, é bem-vinda.

Histórias como as da estudante Andressa dos Santos Cardoso de 19 anos que alisava os cabelos e começou a assumi-los crespos em 2013. O processo conhecido como transição terminou em 2016 e hoje ela assume os cabelos crespos com muito orgulho. Ela relata que sentia dificuldade de se reconhecer enquanto negra. Assim como Adriana de 29 anos que está com o cabelo natural há dois anos e meio, por conta de dificuldades financeiras, relata que não pode ser passiva aos movimentos, acredita na importância de comparecer e celebrar com as demais.

A jovem Vanessa de 22 anos, diz ser o primeiro ambiente que já esteve onde a grande maioria é só preta, “acho isso maravilhoso”, ela ficou em transição um ano, acredita que cresceu num sistema “embranquecedor”. Vanessa conta que acreditava que se alisasse os cabelos se tornaria mais aceita.

(Foto: Natália Reis – https://www.instagram.com/natreisr/)

Evento

As “Amigas Crespas de Floripa” realizaram no dia 12 de março deste ano um encontro no Parque Municipal do Morro da Cruz, em Florianópolis. O objetivo foi unir forças e compartilhar experiências sobre empoderamento da mulher negra.

A idealizadora do evento e proprietária da griffe Gata Crioulla, Mercê Souza de 34 anos, teve a ideia de criar o grupo na própria fase de transição, quando sentiu a necessidade de dividir as angústias do processo. Mercê queria encontrar outras mulheres negras crespas ou não, com esses mesmos anseios se amando na íntegra ou buscando amor próprio. Ela pontua que ao assumir os cabelos crespos vem uma nova mulher, sem os padrões impostos pela sociedade.

Sobre as participantes do grupo, Mercê conta que há mulheres de 50 anos que nunca havia descoberto seus cabelos naturais e que a partir da convivência com as integrantes passaram a se amar. Ela conta também que a temática dos cabelos é o início de um levantamento de bandeira que provoca grandes transformações na vida dessas mulheres, como é o caso de muitas que voltaram a estudar e entraram na faculdade.

Ativista assumida de questões relacionadas aos negros e ás mulheres, Mercê revela que vivenciou uma história marcada pelo preconceito racial, por isso ela considera importante se expor para dar início a uma revolução de costumes na sociedade.

Segundo uma reportagem do jornal online EL PAÍS BRASIL, O avanço do ativismo online de mulheres negras se tornou um importante canal para vencer as barreiras criadas pelo racismo. “A internet é o espaço que as mulheres negras encontraram para existir, já que a mídia hegemônica nos ignora” Leia a reportagem na íntegra.

Veja também outros eventos pelo país:

http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2017/03/role-com-edsoul-2-encontro-das-amigas-crespas-da-grande-floripa-9748633.html

http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/06/jovens-de-cabelos-cacheados-criam-grupo-contra-o-preconceito-em-mt.html

http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2016/03/cacheadas-do-ac-fazem-encontro-para-trocar-dicas-sobre-cachos.html

http://www.hojemais.com.br/andradina/noticia/geral/domingo-tem-encontro-das-crespas-e-cacheadas-no-balneario-de-panorama

Veja um pouco do que rolou nesse dia.

(Foto da capa: Priscila Rejane)

Compartilhe este post »