O movimento de mulheres que estão abandonando os alisamentos para assumirem os cabelos naturais vem crescendo e para isso iniciam a transição capilar. Dentro desse cenário você vai deparar-se com uma série de expressões usadas para especificar cada etapa. Começamos com a transição capilar, processo que requer muita paciência e disciplina. As mulheres abandonam os alisantes, deixam os cabelos crescerem e vão cortando as pontas alisadas. Durante essa etapa o cabelo ficará em duas texturas.

Após a transição que vai durar de acordo com o desejo pessoal, chega a hora de fazer o BC, expressão em inglês que significa “o grande corte”, nessa fase retira-se toda a química e o tamanho do cabelo vai depender do tempo de crescimento que a pessoa ficou em transição.

A respeito da textura dos fios, vai variar de pessoa para pessoa. Para descobrir o tipo de cada cabelo, existe uma tabela de classificação que vai auxiliar a descobrir e conhecer seu próprio cabelo. Temos então: 2A , 2B , 2C; 3A , 3B , 3C; 4A , 4B , 4C (foto). Saber disso vai ajudar a descobrir qual o tratamento e quais produtos ideais para cada tipo de cabelo.

Mas não é em todo meio que essa tabela de classificação é conhecida.  A médica dermatologista com especialização em cabelos, Rafaela Salvato, nos conta que essa classificação não costuma ser utilizada na área médica. Ela que atende por mês aproximadamente 120 a 150 mulheres com cabelos crespos ou cacheados, explica que a estrutura genética desses tipos de fios, desenvolve um crescimento das escamas em espiral e é isso que em alguns casos resulta no formato de “Black Power”.

Os processos químicos usados para alisar os cabelos crespos ou cacheados englobam relaxamentos, escovas progressivas, definitivas ou permanentes. Um dos fatores que leva as mulheres a entrar em processo de transição capilar é o dano causado nos cabelos por causa dos procedimentos capilares feitos ao longo da vida. Rafaela, alerta que os problemas mais comuns são ligados ao excesso de química (principalmente compostos derivados da amônia e do fenol) e o excesso de calor sobre os fios (uso exagerado de chapinhas e secador de cabelo). Esses excessos promovem um afinamento e uma maior taxa de quebra dos fios, tornando-os fracos e sem brilho.

Sobre a importância dos cuidados para uma mulher em transição capilar e como funciona o tratamento, a médica aponta que é fundamental que tenhamos os nutrientes necessários para isso. Uma boa alimentação, com hábitos saudáveis de vida e limpeza promovem condições adequadas de crescimento e melhoram os resultados. Dietas exageradas ou estilos de vida ligados a muito stress prejudicam o crescimento e aumentam a queda.

Mesmo quando não existe um problema aparente, prevenir é mais fácil do que tratar a doença. Um acompanhamento anual com um dermatologista pode ajudar a identificar sinais precoces de enfraquecimento dos fios e ajudar a mantê-los saudáveis. Um exemplo de um problema comum nos cabelos cacheados é que como são mais volumosos, as pacientes às vezes demoram a perceber o afinamento causado pela calvície feminina, o que atrasa o diagnóstico e dificulta o tratamento, avalia Rafaela Salvato.

Em Florianópolis, a transição capilar vem crescendo a cada dia. A funcionária pública Ana Carolina Vieira, afirma que esse movimento não é moda, pois não vai passar. A vontade de se ver, se aceitar e ver outras pessoas iguais é também o desejo da professora de matemática Dandara de Souza. Essas e outras declarações você acompanha no vídeo a seguir que mostra o que algumas mulheres de Floripa estão falando sobre a transição capilar!

 Canal Youtube: Bruna Branco

Assista também ao vídeo do BIG CHOP da Digital Influencer Amanda Mendes do canal: Tô de Crespa

 

Conheça o trabalho da Dr. Rafaela Salvato
Telefone: (48) 3225.4031
E-mail: contato@rafaelasalvato.com.br
Localização:
Av Trompowsky, 291 Salas 403 e 404 – Torre 1
Medical Tower – Trompowsky Corporate
Centro – Florianópolis – Santa Catarina – Brasil

 

(Foto da capa: Miguel Machado / Modelo: Natalia Rocha)

Compartilhe este post »